5Gbet

Em Havana, Foro de São Paulo homenageia fundador Fidel Castro e Hugo Chávez

  • Por Agência EFE
  • 17/07/2018 17h53
Agência EFEÚltimo dia da programação da 24ª edição do evento contou com mais de 600 políticos e ativistas de esquerda

Mais de 600 políticos e ativistas de esquerda homenagearam nesta terça-feira (17), em Havana, o ex-líder cubano Fidel Castro ao começo do último dia da programação da 24ª edição do Foro de São Paulo, do qual o histórico líder foi fundador e um dos principais articuladores, ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No evento, Fidel e o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez foram celebrados como “heróis da independência latino-americana, aos quais as correntes progressistas devem olhar”.

Segundo o historiador cubano Eusebio Leal, que participou do encontro, o ex-líder de Cuba durante quase cinco décadas “foi um homem que não pode ser divinizado, porque assim seria diminuída a sua capacidade de homem”.

“Era um homem com extraordinária capacidade de liderança (…) É preciso ter coragem política para enfrentar, e ele teve. Enfrentou o poder da época. Se podemos nos reunir e meditar sobre nossos roteiros é porque a Revolução que Fidel liderou ainda vive”, declarou.

Também presente à reunião do Foro, a ex-presidente Dilma Rousseff afirmou que Fidel, a quem visitou em Havana em várias ocasiões, “cuidava do seu povo e, ao mesmo tempo, se preocupava com a sorte de outras nações”.

“Cuba é uma referência, e a despeito das dificuldades, continua sendo um farol para todos”, disse Dilma, que também criticou no evento o que considera como “injusta prisão” de Lula.

O XXIV Foro de São Paulo terminou hoje depois de três dias de debates nos quais lideranças da esquerda latino-americana e caribenha denunciaram “golpes macios” nos governos de Nicarágua e Venezuela, e buscaram unidade contra o que classificaram como um “ataque da direita” na região.

Políticos e ativistas utilizaram o encontro como um espaço para buscar apoio de colegas de outros países e “canalizar a solidariedade mundial da esquerda”, disse à Efe o embaixador do Saara Ocidental na Nicarágua, Suleyman Salem.

Criado nos anos 90 por iniciativa de Fidel e Lula, o Foro de São Paulo foi concebido como um espaço de debates e definição de estratégias da esquerda latino-americana. Esta é a terceira edição do evento realizada em Havana, que sediou as de 1993 e 2001.

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.
5Gbet Mapa do site