5Gbet

Dono da Engevix é preso em nova fase da Operação Lava Jato

  • Por 5Gbet
  • 21/09/2015 09h19
ANGRA, RJ, 18.11.2013 - Obras da usina de Angra 3. Foto: Christian Tragni/FolhapressChristian Tragni/FolhapressObras da usina nuclear de Angra 3

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira (21) a 19ª fase da Operação Lava Jato, denominada “Nessum Dorma”, latim para “ninguém dorme”.

Essa nova etapa foca em executivos executivos investigados por pagarem propinas a empresas do governo federal. Foi preso em sua casa um dos donos da empreiteira Engevix, José Antunes Sobrinho.

Ele é acusado de ter pago R$ 140 milhões de propina à empresa Eletronuclear, empresa que mistura capital público e privado e tem por objetivo construir e operar usinas nucleares, como em Angra, no Rio de Janeiro. Sobrinho foi preso em sua casa em Santa Catarina.

“Foi verificado que uma das empresas sediadas no Brasil recebeu cerca de R$ 20 milhões, entre 2007 e 2013, de empreiteiras já investigadas na operação sob a acusação de pagamento de propinas para obtenção de favorecimento em contratos com a estatal”, informou a corporação.

As buscas ocorrem em três estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis. Devem ser cumpridos 11 mandados judiciais, dois de prisão (uma preventiva, outra temporária), sete de busca e apreensão e dois de condução coercitiva, quando o investigado é obrigado a ir à sede da PF para prestar esclarecimentos. Foram deslocados para cumprir os mandados 35 agentes policiais.

Os presos estão sendo levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde vão permanecer à disposição do juízo da 13ª Vara da Justiça Federal. Mais informações serão divulgadas pela corporação às 10h, em entrevista coletiva.

Informações da repórter JP Helen Braun

Com acréscimos da Agência Brasil

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.
5Gbet Mapa do site